O disco voador que parou o Portão C-17 do Aeroporto Internacional de Chicago

Aproximadamente às 16h:15 da terça-feira, 7 de novembro de 2006, autoridades federais receberam um relatório referente ao fato de que um grupo de doze funcionários do aeroporto Chicago O’Hare International Airport estavam testemunhando um objeto metálico, em forma de disco pairando sobre o Portão C-17.

Um piloto anunciou o avistamento para as tripulações de todos os aviões que estavam no solo, e um mecânico da United, que estava movendo um Boeing 777 de posição, escutou a conversa pelo rádio e também olhou para cima, testemunhando o fato. Em instantes, vários pilotos que aguardavam para decolar abriram as janelas de suas cabines para também verem o objeto — houve furor na base da United Airlines no O’Hare.

Um funcionário da gerência recebeu por rádio uma chamada a respeito do disco e correu para fora para ver o que se passava, gritando para outros empregados. Foi ele quem então chamou o centro de operações da companhia e informou o fato para a Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos, para que tomasse providências.

O disco voador que parou o Portão C-17 do Aeroporto Internacional de Chicago

Várias testemunhas independentes fora do aeroporto também viram o objeto. Um deles descreveu ter flagrado uma nave em forma de disco pairando sobre o aeroporto que obviamente não era uma nuvem.

Em minutos o caso ganhou enorme proporção. O evento durou até 15 minutos, com muitas pessoas observando o disco, e então ele disparou a uma velocidade incrível e sumiu em menos de um segundo, deixando um buraco nas nuvens — do mesmo tamanho do objeto.

De acordo com o  Jon Hilkevitch do jornal Tribune Chicago, “O disco esteve visível por aproximadamente 15 minutos e foi visto de perto por uma dúzia de funcionários da United Airlines, que vão desde os pilotos a supervisores, que ouviram Chatter avisar no rádio e saíram correndo para avistá-lo.”

Até agora, nenhuma evidência fotográfica do UFO veio à tona, embora tenha sido relatado para Hilkevitch que um dos pilotos da United Airlines estava na posse de uma câmera digital no momento do avistamento e pode ter fotografado o evento .

O NARCAP publicou um relatório de 155 páginas, o que sugere uma presença do objeto em conta ao longo aeroporto O’Hare, pediu uma investigação do governo e melhorou as tecnologias de sensoriamento de energia: “Sempre que um objeto pode passar por vários minutos no ar sobre um aeroporto movimentado, mas não ser registrado no radar ou visto visualmente a partir da torre de controle, (ele) constitui uma ameaça potencial para a segurança de voo “.

O Aeroporto Internacional O’Hare é o principal aeroporto da cidade americana de Chicago, localizada no estado de Illinois. É o segundo aeroporto mais movimentado do mundo, atrás somente do Aeroporto Internacional de Atlanta.

Reação da Administração Federal de Aviação e da United Airlines

Tanto a United Airlines e da Federal Aviation Administration (FAA), primeiro negou que eles tinham qualquer informação sobre o avistamento ocorrido no Aeroporto O’Hare. Até mesmo o Chicago Tribune , que estava investigando o relatório, entrou com um pedido  de  Freedom of Information Act (FOIA) ( Ato pela liberdade de informação).



A FAA, então, ordenou uma revisão interna de fitas de comunicação de tráfego aéreo em conformidade com o  pedido FOIA do Tribune que posteriormente descobriu-se então uma chamada telefônica realizada por  um supervisor da torre do aeroporto destinada a um gestor da FAA falando sobre o avistamento de OVNI.

A postura FAA conclui que o avistamento foi causado por um fenômeno climático e que a agência não estaria investigando o incidente. Ufólogos têm apontado que essa postura é uma contradição direta com o mandato da FAA para investigar possíveis violações de segurança nos aeroportos americanos, como neste caso; um objeto testemunhado por numerosos funcionários do aeroporto e oficialmente relatados por pelo menos um deles, pairando à vista, sobre um dos aeroportos mais movimentados do mundo. Muitas testemunhas entrevistadas pela Tribune estavam aparentemente “chateados” com as autoridades federais que se recusaram a investigar o caso.

Gravação de áudio

Também existe uma gravação da chamada que uma supervisora da United fez para a torre de controle de tráfego aéreo, que foi liberada pela FAA.  Ela começa com a supervisora perguntando ao pessoal da torre: “Ei, vocês viram um disco voador na altura do portão C-17?” Ela se identifica como Sue e podem-se ouvir as risadas do operador da torre, de nome Dave, e de uma segunda pessoa. “Isso foi o que os pilotos na área da rampa do portão C-17 nos disseram”, continua Sue. “Eles viram um disco voador pairando sobre eles, mas nós não o vemos daqui”.

Mais tarde, Sue fez uma segunda chamada a outro operador na torre, e informou novamente que havia um disco voador sobre o portão. Quando lhe perguntaram mais a respeito, ela disse que era “uma coisa parecida com um UFO”. Sue diz na gravação que uma foto foi batida, mas a imagem nunca foi divulgada. Mesmo assim, o áudio é extremamente importante para a comprovação do caso.

A cobertura da mídia

A impactante história do avistamento no Chicago O’Hare International Airport foi acompanhada por vários dos grupos principais meios de comunicação norte-americanas, como CNN , CBS, MSNBC , Fox News , o Chicago Tribune , e NPR . Em 11 de fevereiro de 2009, The History Channel exibiu um episódio do programa de televisão Caçadores de OVNIs com o título Aliens no Aeroporto, em que revisaram o incidente. Veja abaixo:


Fontes:  Revista UFOseuhistory.com | heraldtribune.com |  educatinghumanity.com | narcap.org  | web.archive.org