Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

O caso Kathie Davis é um dos mais conhecidos casos de abdução da Ufologia Mundial. A protagonista do caso chama-se Debbie Thomas mas inicialmente usou o pseudônimo Kathie Davis visando manter a privacidade de sua família.

Ela passou por várias experiências de abdução, desde a infância, que não eram recordadas a nível consciente. Somente com o uso de hipnose regressiva ela recordou em detalhes as experiências pelas quais passou. Ela decidiu explorar sua experiência quando, em 30 de junho de 1983, ocorre o surgimento de uma marca em seu quintal associado à um estranho fenômeno luminoso e à um período de tempo perdido.

kathie-aliens-grey-08

Intrigada, ela escreveu ao ufólogo Budd Hopkins relatando suas experiências. Kathie havia lido o livro Missing Time, de Budd Hopkins, no qual ele relatava vários casos de abdução por tripulantes de OVNIs e percebeu que tinha vários indícios de que poderia ser também uma abduzida inconsciente.

Budd iniciou uma pesquisa exaustiva em torno do caso, que posteriormente gerou um livro, intitulado Intruders (Intrusos – Um estudo sobre raptos de pessoas por seres alienígenas). O livro, por sua vez, originou um filme para a televisão, com o mesmo nome.

A marca no quintal de Kathie surgiu em 30 de junho de 1983. Poucos meses depois, em outubro, Kathie esteve em Nova York para iniciar as pesquisas em torno de seu caso com o auxílio de hipnose regressiva.

O primeiro episódio a ser investigado foi justamente a noite de 30 de junho de 1983. Através de hipnose Kathie recordou a observação de estranhas luzes no quintal. Depois disso ela saiu para ir à casa de uma amiga onde trabalhariam (na época faziam roupas para as amigas) durante a noite. Mais tarde, a mãe de Kathie liga solicitando que a filha volte para casa a fim de verificar o quintal pois havia uma estranha luminosidade lá fora. Kathie voltou à sua casa, verificou se tudo estava em ordem e posteriormente retornou para a casa de sua amiga.

Kathie não levaria mais que 20 minutos, no entanto levou mais de uma hora. Havia um período de aproximadamente 1 hora da qual ela nada lembrava. Ao chegar na casa da amiga as duas resolvem voltar para a casa de Kathie para nadar na piscina. Ao andar pelo quintal sentem que o mesmo está muito quente. Ao entrar na piscina, Kathia, a amiga e a filha desta passam mal. Nas três amigas a visão fica turva, elas sentem náuseas, dores de cabeça, tonturas, o rosto fica inchado. Estes são sintomas típicos de radiação.

No dia seguinte a família de Kathie constatou a presença da marca no quintal e logo perceberam estranhos efeitos. O cachorro da família mudou seu comportamento, recusando-se a passar pela marca. Pouco tempo depois, constatou-se que o animal começou a perder muitos pêlos e ele adoeceu.

Dentro da marca circular, o solo mostrou-se duro e estéril. Insetos não adentravam a marca e poucos dias depois, a grama começa a morrer evidenciando ainda mais o formato circular da mesma. Curiosamente, durante o inverno o gelo derreteu com muita facilidade na parte interna e acumulou-se mais na parte externa. Embora essas características ainda fossem evidentes, mesmo 15 anos após o caso, ervas arroxeadas começaram a crescer no local. Curiosamente, a partir do surgimento da marca no quintal da família, tomates plantados próximos ao local se apresentavam maiores e mais ácidos do que outros plantados em outros locais da propriedade.

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Hipnose

Através da hipnose Kathie lembrou-se de ter estado em um ambiente muito claro, de paredes brancas. Lembra-se da presença de estranhas figuras próximas à ela e de sensações estranhas.

O ufólogo Budd Hopkins realizou várias sessões de hipnose em Kathie e resgatou outras lembranças de abduções em várias épocas diferentes. Em uma delas, ocorrida em dezembro de 1977, Kathie foi levada para o interior de uma nave onde foi submetida à uma inseminação artificial. Ela ficou deitada em uma mesa com as pernas levantadas enquanto sentia alguma coisa metálica sendo introduzida em sua vagina até atingir seu útero. Kathie relatou ter sentido uma sensação de ardência da cintura para baixo, se sentindo também paralisada e incapaz de mexer-se.

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Do seu lado, Kathie pode observar a figura de uma criatura de olhos grandes e pele cinza. Pouco tempo após esta experiência ela descobriu que estava grávida. Como estava casada não ligou sua gravidez não planejada á suas experiências estranhas, mesmo porque nessa época ela ainda não havia passado por hipnose e não tinha conhecimento de suas abduções. Em março de 1978 Kathie estava com quatro meses de gestação de gravidez, quando acordou no meio da noite toda ensanguentada. Ao procurar um médico descobriu que seu feto havia sido extraído, permanecendo com o cordão umbilical e placenta, fato que causou estranheza ao médico que a atendeu.

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Em 3 de outubro de 1983 Kathie foi abduzida novamente. Ela foi levada a bordo de uma nave onde havia uma sala toda branca cercada por vários seres de estatura baixa e pele cinzenta, entraram neste recinto dois outros seres escoltando uma menininha. Eles disseram que aquela menininha, meio humana meio alien seria filha dela. Essa garotinha tinha grandes olhos azuis, boca e nariz bem pequenos, mas perfeitos, pele pálida, à exceção de seus lábios que eram rosados, tinha cabelo ralo, de tonalidade branca e textura fina, sua cabeça era maior do que o normal e usava uma vestimenta branca e brilhante.

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Em prantos, Kathie percebeu que aquela era sua filha, cada um dos seres segurava uma da mãos da menina. A garotinha esticou o braço para um dos seres e depois olhou de lado para Kathie e, seus lábios tremeram como se fossem uma espécie de sorriso, meio tímido, parecia que a pequena garota estava curiosa com a presença de Kathie, mas demonstrava ter medo dela.


Kathie não se lembrava de mais nada, então foi submetida a uma sessão de hipnose, onde se lembrou da conversa que teve com um daqueles seres. Ela queria ficar com sua filha, mas o ser alertou-a que a menina não iria sobreviver em nosso mundo, e Kathie indagou o porque de eles estarem fazendo aquilo, e foi dito para ela que eles estavam fazendo uma experiência genética misturando a raça deles com a nossa, mas não disseram o motivo de tal experiência.

As experiências vividas por Kathie Davies, geraram uma série de efeitos físicos e fisiológicos em seu organismo. Kathie, a partir do contato de 1983, apresentou leve deficiência visual e catarata, desenvolveu síndrome do pânico, ansiedade e fobias. Porém, tanto ela quanto outras mulheres da família, que também descobriram terem sido abduzidas, desenvolveram dons artísticos e uma forte espiritualidade.

A irmã de Kathie, por exemplo, tornou-se médium. Já Kathie, começou a pintar quadros, muitas vezes com símbolos que mais tarde se relacionavam com o fenômeno dos circulos ingleses. Ela chegou a desenhar formas complexas que surgiram mais tarde em campos de trigo. Kathie, após perder seu marido, começou a estudar o mistério das vozes paranormais e hoje é uma excelente pesquisadora do tema das Transcomunicações Instrumentais.

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Fotografia da estranha marca no quintal de Kathie Davis surgida em 30 de junho de 1983.

Esta fotografia foi obtida logo após o seu aparecimento. A marca circular tinha 2,40m de diâmetro e um sulco de 14,70m de comprimento por 90 cm de largura.
Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Fotografia da marca obtida durante o inverno.

Nota-se que dentro da marca a neve não se deposita. Ela derrete com facilidade enquanto que na parte externa a neve acumula-se normalmente.

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Fotografia da marca obtida dois anos depois.

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Um esboço do quarto de dormir feito por Robbie, o filho da Kathie, quando ele estava com quatro anos de idade. Na parte superior do desenho Robbie explicou que é o ET, que ele sonhou que havia entrado em seu quarto.

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Três cicatrizes encontradas em abduzidos.

Elas estão localizadas na mesma região da perna, tem as mesmas características nos três casos. A primeira foi encontrada na perna do ufólogo Raymond Fowlwer.  A segunda fotografia é da perna de Kathie Davis. Nota-se o mesmo tipo de cicatriz. Na ultima imagem temos a perna do abduzido Jack Weiner e apresenta as mesmas características das anteriores.
Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas
Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Cena do Filme “Intruders – 1992” Ilustrando os úteros artificiais vistos por Kathie Davis no interior da Nave

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Desenho baseado nas declarações de Kathie sobre a criança hibrida apresentada como se fosse filha dela.

Kathie batizou-a de Emily. Ela teria sido gerada de um óvulo retirado de seu próprio corpo. “Ela sabia quem eu era” disse Kathie com tristeza “mas acho que ficou assustada ao me ver. Pareceu quase chocada com a idéia de ser parte de mim.”

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Retrato falado dos abdutores de Kathie Davies

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas
Amostras de solo do local de pouso do UFO, em 30 de junho de 1983. Foi necessário aquecer uma amostra de terra a 3000º C durante várias horas para reproduzir os efeitos observados no solo coletado dentro da marca

Veja também