O crânio Alienígena de Sealand

Um dos artefatos mais controversos descobertos nos últimos anos, o Crânio Sealand tem levantado muitas questões que a ciência não consegue encontrar uma resposta para. Estranhamente, alguns pesquisadores não têm mostrado interesse em analisar o artefato misterioso, talvez porque eles têm medo do que possam descobrir, algo que poderia mudar a forma como olhamos para as origens humanas e toda a nossa história.

O crânio Sealand foi descoberto em 2007, em Olstykke , Dinamarca por trabalhadores que estavam substituindo tubulações de esgoto. Até recentemente, ninguém parecia interessado neste achado. Mas em 2010 o crânio foi examinado pel aprimeira vez na Faculdade de Medicina Veterinária da Dinamarca. Os pesquisadores concluíram que eles não foram capazes de resolver o mistério, nem fornecer qualquer coisa que possa explicar a qual espécie o crânio de Sealand pertence.

Crânio Sealand - outromundo.net

“Embora se assemelha a um mamífero, certas características tornam impossível encaixar na Taxonomia” disseram os cientistas.

Depois disso, o crânio foi enviado ao  Niels Bohr Institute da University of Copenhagen (Dinamarca) onde, uma datação feita pelo método de detecção dos níveis de Carbono determinaram que aquele Ser viveu entre 1,200 e 1,300 a.C..

Não há como associar a morfologia do crânio Sealand a um indivíduo da espécie humana de qualquer época histórica conhecida. As órbitas oculares não são somente muito maiores do que as de um ser humano normal mas, também são muito mais profundas, afastadas entre si e arredondadas.

As narinas são muito pequenas e o queixo, muito estreito (fino). Em especial, os olhos gigantes sugerem uma criatura noturna ou com olhos adaptados para ambientes escuros.

Primeiramente, foi definido que o crânio pertencia a um cavalo, mas uma análise mais aprofundada revelou que não era o caso. Os pesquisadores não foram capazes de fornecer mais detalhes e às pergunta sobre a Caveira de Sealand são muitas.

Escavações posteriores no local onde o crânio Sealand foi descoberto, não mostrou nada interessante. OS pesquisadores não foram capazes de encontrar qualquer coisa que ligava o Crânio Sealand a outros objetos da área.


Crânio Sealand - outromundo.net

Quando comparado com o crânio de um humano normal, o crânio Sealand tem várias diferenças. Por exemplo, as órbitas do crânio de Sealand não são apenas muito grande, mas também são muito mais profundo e mais arredondada. Os olhos soquetes do crânio Sealand parecem estender ainda mais para os lados enquanto que em um crânio humano olhos são mais centrado. A narina do crânio Sealand é muito pequena e o queixo é muito estreita.

O crânio Sealand é maior do que o tamanho de um macho Homo Sapiens. As órbitas são muito grandes, e a superfície lisa parece indicar que esse ser foi adaptado para um tempo mais frio. O tamanho relativo do olho sugere que ele era uma criatura noturna com olhos gigantes.

Existem inúmeros mistérios que cercam o crânio Sealand e da região onde foi descoberto.

É interessante notar que os residentes em Olstykke e aldeias próximas, desde os tempos antigos, têm falado sobre um grupo local chamado de l’Ordre Lux Pegasus (Ordem Pegasus of Light), cujo propósito verdadeiro é um mistério, a missão ordens acredita-se ser a de proteger vários elementos – entre eles um crânio misteriosa e vários dispositivos feitos de metais extremamente leves e inquebrável.Crânio Sealand - outromundo.net

As imagens são realmente interessantes e provam o quão incomum o crânio  Sealand é de fato.

Mesmo que o crânio é semelhante ao de um ser humano, ainda existem várias diferenças que a tornam única. Mais pesquisas estão levando para a possibilidade de que o crânio Sealenad pertencia a um ser extraterrestre que viveu na Terra. Outros pesquisadores sugerem que ele pertencia a uma espécie perdidas e esquecidas de seres humanos antigos, que eram muito diferentes quando comparados com os humanos modernos.

A maioria dos investigadores têm um conhecimento muito limitado sobre o nosso passado, e com descobertas como esta, o passado está embaçado, mais do que nunca.


Fonte: anciet-code

Veja também